sexta-feira, 19 de setembro de 2014

19 de setembro de 2014

Um dia como qualquer outro, exceto pelo fato de que eu voltei a escrever aqui. Decidi colocar alguns pensamentos em ordem, e acredito que escrevendo seja a melhor forma de conseguir isso. 
21 anos, a idade da responsabilidade feminina! Tudo bem que acredito ter (ao menos um pouco) desde meus 18 anos, ou menos, mas perante a lei essa é a idade que a mulher passa a deixar de ser dependente. Enfim, nada de termos técnicos. 
Já deixei de acreditar em contos de fadas, papai noel e coelho da páscoa (mesmo sem nunca ter acreditado), já vi que o mundo não é cor-de-rosa e que o pra sempre sempre acaba! Mas o que eu ainda não consegui deixar de acreditar é no amor, mesmo que a maioria já tenha deixado de acreditar. Não sei por que todas as vezes que eu começo a escrever, acabo entrando nesse assunto, deve ser que é o que mais me faltou em todos esses 21 anos: amor! Passei tantas e tantas vezes por decepções amorosas, amores platônicos, não correspondidos, incondicionais, ardentes e dolorosos. Aprendi com cada um deles e, mesmo sofrendo até o ultimo fio de cabelo, não deixei de acreditar que sim, existe uma tampa pra minha panela (mesmo eu acreditando que eu seja uma frigideira), mas nunca senti que fui amada de verdade. Super doloroso e solitário ter que admitir isso mas é a verdade e deve ser por isso que ando tão perdida, precisando organizar certos pontos na minha vida. Falta de amor. Amar, amo até demais, quem não merece. E a mim? E quanto ao amor próprio? Esse ainda desconheço. 
Ultimamente, minha vida se resume em uma palavra: zona! Um termo extremamente forte, vulgar e deprimente. Tento de todas as formas me organizar de corpo, alma e coração, porém não sei o que acontece que algo mais forte vem e bagunça tudo novamente. O corpo anda cansado, semblante triste, sorriso amarelo, desânimo pra coisas que são importantes e ânimo pra coisas fúteis. Alma faltando humildade, bondade, paciência e temor a Deus (fé sempre tive). Coração confuso e perdido num universo paralelo que não condiz com a realidade. 
O que me move é saber que, algum dia, tudo isso vai se resumir a uma fase ruim, que tive que passar para que coisas boas pudessem surgir. Saber que, Deus, mesmo em meu pior defeito, me ama incondicionalmente e com o maior amor do mundo! Amanhã é um novo dia, um novo amanhecer, existe um caminho pra mudar tudo isso. Existem pessoas que acreditam em mim, que me amam mesmo eu não sendo perfeita e que querem o meu bem.
Portanto, mesmo com todos os problemas possíveis da nossa vida, sempre há uma solução que não enxergamos mas que um dia vai aparecer. Hoje posso estar triste, desanimada com a vida, faltando coisas boas nas minhas atitudes e palavras, distante de Deus que me ama imensamente e perdida em relação aos meus sentimentos, porém amanhã, quando eu menos esperar tudo muda! Isso só depende de mim, dos caminhos que escolho seguir e do que eu ando plantando. Ninguém que escolhe o caminho do bem se dá mal ou plantam rosas e colhem cravos, são essas escolhas que nos fazem pessoas melhores.
Escrever é muito mais do que palavras que formam frases e textos, nos fazem refletir, nos motivam e nos ajudam a enxergar o que os olhos não vêem. Posso não ser uma escritora, ou pode ser que ninguém leia todos esses meus textos, mas o que importa é que eles sempre me ajudaram!
Refleti, suspirei e agora vou agir! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário